Quando eu vi aquela água viva morta na beira do Adriático

Quando eu vi aquela água viva morta na beira do Adriático
out 8, 2020 Rafael Kamada

Quando eu vi aquela água viva morta na beira do Adriático

Toquei o infinito

Como gostaria de tocar de novo ali

Abri uma janela para eternidade

Vi o processo de transformações dos seres

Compreendi melhor a morte

Me senti abraçado pela eternidade

Como eu gostaria de morar de frente pra essa janela

Onde a beleza impera e o espírito envelhece em paz

saglikpersoneli.com.trsaglikpersoneli.com.tr